sábado, 5 de outubro de 2013

SEGUINDO O MOTE: AO BRILHAR DOS RELÂMPAGOS

São sempre poéticos os comentários de Eufrázio Filipe, do blog Mar Arável (mararável.blogspot.com). 
Aproveitei seu comentário à minha postagem de 21 de setembro e atrevi-me a continuar o poema. São dele os cinco primeiros versos.

AO BRILHAR DOS RELÂMPAGOS

Há flores em todas as estações
em todos os apeadeiros da vida
mesmo que chova ou faça sol

Por cá um dia brilharão
os relâmpagos
Iluminarão as sendas mais profundas,
e farão tremer pétalas e caules e folhas...

E nesse despertar de flor
olhos abertos, em procura infinda,
ela percorre as estações sem pressa,
mesmo que chova ou faça sol

O que procura, mulher-flor,
iluminada
por relâmpagos na noite infinda de todas as estações?
O que espera, flor-mulher,
da chuva e do sol,
a trilhar sem cansaço todos os caminhos?

Não há quem saiba, não há quem responda
mas em todas as estações, lá está ela, mulher flor,
em todos os apeadeiros da vida, lá está ela, flor mulher,
mesmo que chova ou faça sol

Um dia, talvez, quem sabe,
ao brilhar dos relâmpagos ela, enfim em sossego,
adormeça para sempre aconchegada
em um braço de mar...





Maria Emília Costa Moreira
Mulher-Flor ou Flor-Mulher.blogspot.com
(técnica mista s/ madeira: - areia, papel, conchas, cola, verniz e acrílico - 42x54) rep.