terça-feira, 22 de janeiro de 2013

DRUMMOND: MEU POETA PREDILETO

Dentre os vários poetas brasileiros que admiro, Drummond é o meu predileto. Sua poesia direta, mas profunda, seu lirismo despido de pieguice, seu olhar e o recriar da vida e do mundo me fascinam. Não me canso de ler e reler sua obra. 

Há sempre um poeta que nos toca mais, com seus versos.
Esse, para mim, é Carlos Drummond de Andrade.

CONFIDÊNCIA DO ITABIRANO

Carlos Drummond de Andrade

Alguns anos vivi em Itabira.
Principalmente nasci em Itabira.
Por isso sou triste, orgulhoso: de ferro.
Noventa por cento de ferro nas calçadas.
Oitenta por cento de ferro nas almas.
E esse alheamento do que na vida é porosidade e comunicação.

A vontade de amar, que me paralisa o trabalho,
vem de Itabira, de suas noites brancas, sem mulheres e sem horizontes.

E o hábito de sofrer, que tanto me diverte,
é doce herança itabirana.

De Itabira trouxe prendas diversas que ora te ofereço:
este São Benedito do velho santeiro Alfredo Duval;
esta pedra de ferro, futuro aço do Brasil;
este couro de anta, estendido no sofá da sala de visitas;
este orgulho, esta cabeça baixa...

Tive ouro, tive gado, tive fazendas.
Hoje sou funcionário público.
Itabira é apenas uma fotografia na parede.
Mas como doi!

ANDRADE, Carlos Drummond de. In: MORRICONI, Italo. Os cem melhores poemas brasileiros do século. Rio de Janeiro, Objetiva, 2001.

FOTO DE CASARIO EM ITABIRA - MINAS GERAIS
GOOGLE IMAGENS



TRECHOS DE POEMAS DE DRUMMOND
PROGRAMA ENTRELINHAS
TV CULTURA - SÃO PAULO
YOUTUBE