domingo, 8 de setembro de 2013

SOBRE VIDA, TOSHIKO E BIBI

A vida tem me oferecido momentos de puro prazer nesses últimos dias. Talvez por que eu esteja com o tempo e a tranquilidade necessários para perceber e sentir esse prazer, sem as preocupações que o trabalho nos proporciona. Agradeço a Deus por todos esses dias de tranquilidade e paz.
Entretanto, é difícil, em nosso cotidiano, nos lembrarmos de agradecer a Deus, pelo dom da vida, simplesmente da vida, sem que estejamos comemorando uma data especial, sem um motivo específico. 
E hoje vivi momentos especialmente emocionantes na comemoração da amiga Toshiko Namie, que celebrou uma missa no templo budista, para agradecer pela sua vida... Simplesmente, para agradecer pela vida...
Há alguns dias, graças à gentileza de Nazih Franciss, que ofereceu uma noite especial no Teatro Frei Caneca, emocionei-me também com a presença, palavras e principalmente com a força de uma mulher de 90 anos que canta com a mesma emoção e a  mesma voz, firme e forte, que sempre encantou plateias brasileiras e estrangeiras: Bibi Ferreira, cantando Piaf, é também um exemplo de louvor à vida.
Duas mulheres, dois exemplos de vida. A primeira que admiro por sua integridade, competência, simplicidade e dedicação à família e aos amigos. A segunda, por seu exemplo de uma vida inteira dedicada à arte e à música, em especial.
Essas duas mulheres fazem com que se acredite que viver é bom, que viver é partilhar momentos de alegria, e que é preciso, sempre, abrir nosso coração para a vida e para os bons momentos que ela nos oferece.


Bibi Ferreira canta Edith Piaf 

Je Ne Regrette Rien/ Hymne à L'amour

Youtube