quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

TEMPO


O tempo insiste em deixar marcas:
Em meu rosto, em minhas mãos...
O tempo insiste em se fazer presente
Criando passados,
Limitando os passos,
Os compassos...

Disse o poeta que seu tempo é quando;
O meu tempo é o momento
Da palavra pensada,
Do verso, sem rima, sem nexo...
O meu tempo se faz e se desfaz,
Uma linha que se tece e se perde
No desenrolar do novelo...

Tempo, tempo, tempo, tempo
Diz a canção
Que o vento traz e leva.
Esparramando a poeira do caminho,
Balançando as folhas
Da árvore que plantei
Em um tempo que se foi.

Meu tempo é o poema,
Que se perde ao ser gerado
Mas é aquele que ao nascer tem a força das marés:
Quebra os limites,
Apaga as marcas
Faz esquecer passados,
E dura o tempo necessário

Para compor a vida em versos sem rima e sem nexo...

Oração ao Tempo
Rita Ribeiro 
Youtube