quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

POEMA


Sombras aladas pousaram em meus sonhos,
Ergueram-se do solo, deixando para trás
Pernas brancas, vermelhas, amarelas ( tantas pernas)
E ainda olhos insaciáveis, bocas inquietas, mãos exploradoras...
Deixaram também meu rosto no espelho,
Indiferente ao murmúrio do vento e ao apito do trem,
Que já vem, que já vem...
Meus sonhos agora providos de asas
Singraram os ares sem rumo e sem destino,
Ao sabor das marés e dos desejos.
Vestiram-se de nuvens,
Ornaram-se de estrelas,
Perderam a noção do tempo.
Invadiram espaços
E finalmente em êxtase
Estilhaçaram-se em versos:
Criou-se o Poema. 


The return - René Magritte
Google Imagens