terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

PEQUENOS PRAZERES

Muito se tem falado sobre prazer, nesses tempos de insegurança, violência e crises em diferentes aspectos da nossa vida.
O ser humano então, busca o prazer talvez como compensação. O  prazer do consumo, da posse ostensiva de bens materiais; o prazer do divertimento sem limites temporais ou espaciais... E a vida  torna-se uma eterna festa, sem comprometimentos...
Entretanto, não quero falar desses prazeres e sim daqueles, pequeninos, singelos, puros, que não proporcionam grandes euforias, mas sim provocam sorrisos, evocam lugares, pessoas, palavras, sons.
E, por serem singelos e puros, são comuns a todos, seja qual for a classe social, a situação econômica, a idade...

Proponho então, um passeio por esses pequenos prazeres que são meus, mas quem sabe, possam também ser seus.

Ah, o prazer que nos proporciona...
O aroma do café, bem cedo, coado pela mão amorosa da mãe...
O olhar de aprovação do professor, do técnico ou do instrutor após uma ação perfeita...
O carinho estabanado do cão à nossa chegada...
O encontro fortuito com um amigo que há muito não se via...
O carinho da mãe, do pai, do marido ou do filho, ajeitando nossas cobertas, em noites frias...
A visão de um céu de azul tão puro que ofusca o olhar...
Os acordes da melodia perfeita que invadem nosso ser, chegando até a alma...
Prazeres simples, que estão ao nosso alcance e que podem ser lembrados e sentidos a qualquer momento, em qualquer lugar. 
Pequenos prazeres, simples mas preciosos; esses, nada nem ninguém poderá jamais nos tirar.

http://www.paginasiniciais.com.br/xicara_de_cafe_quente/