domingo, 19 de março de 2017

O SOM DAS ÁGUAS



Trago hoje o poema de um amigo de além mar.
João Menéres, premiado fotógrafo da cidade do  Porto, Portugal, respondeu de forma inspirada e poética a um comentário meu sobre uma belíssima foto sua.
Com sua autorização, transcrevo sua resposta/poema:

O SOM DAS ÁGUAS
João Menéres
Não escutaste o som das águas porque elas não buliam...
Nem sentiste a brisa leve porque não havia...
Tudo era um maravilhoso silêncio. 
Apenas silêncio.
E aquela balisa nos dizia que devia haver vida , 

não agora todavia.
E os olhos perdiam-se para lá do infinito 

que aqui não é alcançado.


Segue o link para que possam admirar a belíssima foto.
(se clicarem sobre ela, poderão vê-la ampliada)
http://grifoplanante.blogspot.com.br/2017/03/fim-de-dia.html