quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

ÁRVORE


Como fundo um céu azul,
mesclado de branco e cinza
e, sozinha, ela recorta
seus contornos precisos.
Cinza da natureza,
branco  o caule
que o carinho do homem impõe
e protege.

Não há verde,
não há folhas,
ou flores.
Só a estrutura cinzenta
inspirando força, imponência.

A vida aí se encerra
e fervilha e brota
em entumescências e pontos.
A natureza, em sono aparente,
se renova a cada dia.
E a certeza de que a vida surgirá esplendorosa,
traz ao homem a esperança
de um constante renascer...