segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

AMOR

Tenho acompanhado um blog extremamente interessante: (In)Cultura: http://sonhar1000.blogspot.com/. A última postagem de Ana traz um texto sobre o Amor. Explica de forma mítica a origem da cegueira que é a característica primeira do amor. Eternamente acompanhado da loucura, o amor se vale dos sentidos, não atende à razão... Seria esta a provável causa do inexplicável que é esse sentimento.
Para ilustrar essas reflexões, apresento dois momentos que tratam do amor: o primeiro um texto meu, antigo, que encontrei entre meus guardados e um link para o nosso Chico, sempre incomparável!
Ah, e também o iluminado Klimt e O Beijo.

FORÇA DO AMOR

Espanta-me sempre a força do amor,
que permanece vivo apesar do tempo,
de tudo e de todos...
que brota às vezes em sobressaltos e angústias,

em suavidades e ternuras.

Fosse um romântico
e cantaria loas
e traçaria versos
e diria neles: Te amo ainda!

Mas não:
sou razão,  não sentimento
e busco as causas, raciocino,
procuro origens desta força que em mim existe.



 Gustav Klimt:  O beijo  (WikpediA)

A resposta, não sei, não a encontro
apenas constato
pasma e incrédula:
Não tenho armas
ou quem sabe argumentos
para reagir
à incrível força do Amor
que existe em mim.

Chico Buarque: Eu te amo