sexta-feira, 6 de julho de 2012

PREGUIÇA...

Hoje não há palavras, nem rimas, nem versos...
Nem ao menos aquela vontade de criar, que invade e exige a produção.
Hoje, só preguiça. Falta a adrenalina do cotidiano e mesmo o cotidiano atual se arrasta.
Lanço mão então de meus poetas preferidos para preencher a página e esta noite de inverno que mais parece verão.


Emergência
Mario Quintana

Quem faz um poema abre uma janela.
Respira, tu que estás numa cela
abafada,
esse ar que entra por ela.
Por isso é que os poemas têm ritmo
- para que possas profundamente respirar.
Quem faz um poema salva um afogado.




Todo sentimento - Cristóvão Bastos e Chico Buarque de Holanda
Youtube